Mídia Paga x Mídia Orgânica: Qual a Diferença e Qual Escolher

Mídia Paga x Mídia Orgânica: Qual a Diferença e Qual Escolher

Quando falamos mídia na internet, estamos nos referindo diretamente ao tráfego. Precisamos dele para exibir nossa mensagem, seja ela através de anúncios ou do marketing de conteúdo. Para quem é novo na área, devo explicar que há duas formas de conseguir o tráfego: através da mídia orgânica ou da mídia paga.

A diferença entre elas está relacionada à forma com que o tráfego chegará até seu site. Cada uma possui vantagens e desvantagens, evidentemente. É preciso levar em conta seu nicho de mercado e sua estrutura de negócio para saber qual ajudará mais sua empresa. Falaremos sobre isso nesse artigo, tentando responder a questão: qual a diferença entre mídia orgânica e mídia paga e qual é a melhor para minha estratégia?

Mídia paga

A mídia paga são os anúncios e links patrocinados que aparecem em sites e mecanismos de pesquisas do seu público-alvo. Nesse caso, você paga pelo número de cliques que irá receber. O investimento acontece da seguinte maneira: você compra certas palavras-chaves para as quais os anúncios irão aparecer quando seus potenciais consumidores utilizarem-nas em pesquisas.

As formas de mídia paga mais conhecidas e lucrativas são a do Google Ads e do Facebook Ads. Existem inúmeras possibilidades de criação de anúncios, podendo você personalizá-los como achar melhor. No caso do Google, você dá lance no leilão de palavras-chaves. Com base nisso e na qualidade do anúncio, seus links e propagandas aparecerão nas páginas de pesquisas do Google e nos sites parceiros (que utilizam o Google Adsense).

O Facebook também permite a criação de tipos variados de anúncios, bem como a segmentação de acordo com seu público (direcionando para região, idade específica, sexo etc.). Você paga por número de cliques ou de exibição.

Mídia orgânica

Diferentemente do que pode parecer, a mídia orgânica não é “grátis”, já que o outro tipo é “pago”. Explico. No tráfego orgânico não há investimento direto como no primeiro caso, mas você precisa dedicar tempo e até dinheiro indiretamente. Isso porque a base da mídia orgânica está no conteúdo que você oferece para os clientes.

De toda forma, ou você vai criar o conteúdo por si mesmo, investindo tempo, ou contratará um profissional para fazê-lo. Além disso, é preciso investir em estratégias de otimização do seu site para que ele seja “compatível” com o Google e os buscadores. A mídia orgânica está diretamente ligada ao SEO (search engine optimization), que é o conjunto de técnicas utilizadas para fazer com que uma página chegue ao topo dos mecanismos de busca.

As palavras-chave que seu público utiliza continuarão levando o potencial cliente para seu site. Mas ao invés de comprá-las para aparecer em forma de anúncio, você otimiza seu site para “escalar” a página de pesquisas. Você chega ao topo convencendo o Google de que sua página é a melhor para aparecer ali.

A mídia orgânica pode oferecer vantagens imensas para seu negócio e colocá-lo no topo do mecanismo de busca.

Qual é a melhor para a minha estratégia?

O ideal é investir nas duas, é óbvio. No entanto, estamos falando de dinheiro e tempo, o que é precioso para qualquer empresa. O caminho mais correto é saber as vantagens de cada uma para adaptar ao seu negócio. Então saiba que a mídia paga é a melhor para um resultado rápido. Por exemplo, você tem um estoque e deseja vendê-lo. Só que, com o passar do tempo, se seu anúncio fica no topo, tende a gerar muito gasto e não trará tanto lucro.

Já a mídia orgânica é ideal para campanha de médio e longo prazo. Afinal, você irá demorar entre 3 a 6 meses para ranquear as páginas. No entanto, não precisará gastar mais e pode receber visitas indefinidamente sem gastar com isso. Portanto, avalie o que você tem na mesa para decidir qual a melhor para sua estratégia.

Evidentemente, você pode criar uma campanha aliando os dois tipos de mídia. Nesse caso, você pode atrair o seu público através de alguns anúncios pagos. Ao mesmo tempo, invista num blog com conteúdo e em páginas de captura (landing pages) para conseguir leads (contatos de potenciais clientes).

Você poderá, por exemplo, oferecer e-books com dicas sobre o produto anunciado. Aos poucos, produzindo conteúdo para o blog, divulgando o site, marcando presença nas redes sociais e investindo pontualmente em mídia paga, você criará autoridade. O que significa que ganhará posições no Google para suas páginas.

Assim vai aliar as duas mídias. Lembre-se de usar o Google Analytics para mensurar seus resultados e melhorar a estratégia. Você pode agregar mais conhecimento a esse respeito baixando nossos materiais educativos e gratuitos. Clique aqui para acessar.

Deixe seu comentário