Neuromarketing: O Que é e Como Utilizar a Favor do Seu Negócio

Neuromarketing: O Que é e Como Utilizar a Favor do Seu Negócio

O marketing sempre teve como principal intuito impulsionar a imagem de uma marca e atrair mais clientes para a empresa. Para isso, saber o comportamento do seu público é essencial a fim de elaborar estratégias mais eficazes para atender às demandas dele e conseguir um engajamento melhor para a empresa. O neuromarketing é o responsável por entender o comportamento do consumidor e auxiliar o marketing em suas práticas.

O que é neuromarketing?

O princípio desse conceito é unir o marketing e a neurociência para identificar e analisar o comportamento do público, descobrindo como estes reagem, inconscientemente, às ações promovidas pelo marketing das marcas. É como entender a lógica do consumo ao conhecer os desejos, necessidades, gostos, impulsos e motivações das pessoas.

Com isso, é possível analisar se tal estratégia é mais eficaz ou não que outras, o porquê da concorrência atrair mais ou menos público em suas campanhas, o porquê da preferência do público por um marca em detrimento de outras, etc.

Saber como seu cliente pensa e como ele reage às suas estratégias é de suma importância para que o marketing personalize suas ações, a fim de atrair mais leads e gerar mais oportunidades de venda. Por meio de um estudo completo sobre o pensamento dos clientes e suas reações neurológicas involuntárias, também é possível antecipar as necessidades do público e direcionar as campanhas para melhor atendê-las.

Como funciona?

É sabido que o marketing já implementa estudos de comportamento em sua essência, porém, o neuromarketing veio aprofundar esses estudos se utilizando de instintos, sentidos e emoções dos clientes para promover melhores respostas.

Em suma, esse é um campo novo do marketing que tem como objetivo estudar o comportamento do consumidor. Assim, ele se utiliza do estímulo de áreas de nosso cérebro que reagem de maneira diferente para cada ação.

Dentre essas áreas que mais conseguem ser afetadas para provocar ações de compra, estão a reptiliana e límbica. A límbica é a responsável por processar as emoções tristes e alegres e ativar sensações que envolvem o sexto sentido. Já a reptiliana controla as ações de sobrevivência do nosso corpo, respondendo a estímulos de urgência.

Assim, serão trabalhados alguns detalhes simplórios capazes de estimular e acionar o inconsciente do consumidor além de provocar o interesse dos mesmos pela marca, como o uso de cores chamativas em sites, no logo da marca e nos produtos em si; apostar em imagens atrativas que ilustrem o serviço da empresa, repetição de frases, aromas em campanhas presenciais, interações, etc.

Como aplicar e conseguir sucesso?

Mexer com as emoções e sensações dos consumidores é essencial para conseguir a empatia e a vontade de comprar dos mesmos. Para isso, campanhas que se utilizem de fatores do cotidiano, de emoções comuns entre os seres humanos e imagens que acalentam têm mais chances de atrair mais público. Isso porque os anúncios com apelo emocional são recebidos pelo público de uma maneira muito melhor do que os que exploram o racional.

A Coca-Cola, por exemplo, é uma das marcas que mais aplica a emoção em suas campanhas. Por mais que a empresa ofereça serviços bastante práticos para seus clientes, procure explorar em algum momento a aplicabilidade dos mesmos no cotidiano das pessoas. Isso estimula os sentidos emotivos e gera empatia com a marca.

Para sites, blogs e redes sociais, opte por elementos visuais, em vez de somente textuais. É comprovado que as imagens estimulam mais áreas do cérebro do que os textos, além de provocar sensações que levam ao desejo de compra.

Utilizar a psicologia das cores no marketing também é uma estratégia visual bastante eficaz. Para isso, estude o significado das cores e como elas estimulam cada área do cérebro. O Mc Donalds, por exemplo, se utiliza das cores vermelho e amarelo, que estimulam a fome e compra de seus clientes.

Trabalhe também a exposição dos preços nas campanhas. Isso é fator determinante para que um cliente opte ou não por comprar algum produto. Basta olhar um preço que não o agrade, que nada mais será visto. Por isso, tente explorar vantagens como o famoso “pague 2, leve 3”, ou compare seu preço com o da concorrência.

Além disso, alguns gatilhos de urgência também são eficazes para estimular o cérebro. As famosas chamadas “é só até amanhã” ou “é só em nossa loja” geram um senso de emergência ou de exclusividade, que levam o cliente a decidir comprar. Repita essa informação mais vezes em uma campanha, a fim de reforçar essa ideia.

Precisa de ajuda com o Marketing Digital da sua empresa? Acesse nosso site e conheça nossos conteúdos gratuitos.

Deixe seu comentário